Embaixada de Portugal na Turquia

Ministério dos Negócios Estrangeiros

Dados gerais

Localização Geográfica

Mapa de Portugal

Portugal, oficialmente República Portuguesa, é um Estado da Europa Meridional, fundado em 1143, que ocupa uma área total de 92.212 Km2. A parte continental situa-se no extremo Sudoeste da Península Ibérica fazendo fronteira a Norte e a Leste com a Espanha, e a Ocidente e a Sul com o Oceano Atlântico. O território português abrange ainda duas regiões autónomas: os Arquipélagos da Madeira e dos Açores, localizados no Oceano Atlântico. O Arquipélago da Madeira é constituído pelas Ilhas da Madeira, Porto Santo, Desertas e Selvagens, e o Arquipélago dos Açores é formado por 9 ilhas e alguns ilhéus: Santa Maria, São Miguel, Terceira, Graciosa, São Jorge, Pico, Faial, Flores e Corvo.

 

Clima

O clima português é caracterizado por Invernos suaves e Verões amenos, variando, no entanto, de região para região. No norte registam-se precipitações mais elevadas e temperaturas mais baixas, mas é no interior que se registam as maiores amplitudes térmicas. A sul do Tejo, o maior rio português, fazem-se sentir as influências mediterrânicas, com Verões bastante quentes e prolongados, e Invernos curtos e de pouca pluviosidade. A Madeira regista um clima de tipo mediterrânico com temperaturas amenas e agradáveis todo o ano, enquanto os Açores apresentam um clima temperado marítimo com chuvas abundantes.

 

População

Portugal é um país com 10,6 milhões de habitantes (2011) e uma densidade demográfica de 115,4 habitantes /km2, sendo evidente uma maior concentração populacional junto à faixa litoral.

 

Principais cidades

Lisboa - é a capital desde o século XII e a maior cidade com cerca de 500 000 habitantes / 3 milhões de habitantes na Região de Lisboa;

Porto - é a segunda maior cidade, cujo nome latino Portus Cale esteve na origem do nome do país, e conta com cerca de 240 000 habitantes / 1,5 milhões no Grande Porto;

Guimarães - a cidade berço;

Aveiro - a "Veneza" portuguesa;

Coimbra - a cidade da mais antiga universidade do país que é também uma das mais antigas da Europa;

Faro - a capital da região mais a sul de Portugal, o Algarve;

Funchal - a principal cidade do arquipélago da Madeira;

Ponta Delgada - a capital administrativa do arquipélago dos Açores

 

Símbolos Nacionais

A Bandeira Portuguesa

Bandeira PortuguesaApós a instauração da República, um decreto da Assembleia Nacional constituinte datado de 19 de Junho de 1911, aprovou uma nova a Bandeira Nacional que substituiu a anterior.

A Bandeira Nacional é dividida verticalmente em duas cores - verde escuro e vermelho - ficando o verde do lado da tralha ou do mastro. Ao centro, sobreposto à união das cores, tem o escudo das armas nacionais, orlado de branco, sobre a esfera armilar, em amarelo e avivada de negro.

O comprimento da bandeira é de vez e meia a altura da tralha. A divisória entre as duas cores fundamentais é feita com dois quintos do comprimento total ocupados pelo verde e os três quintos restantes pelo vermelho. O emblema ocupa metade da altura, ficando equidistante das orlas superior e inferior.

Assim, no entender da Comissão, o branco representa «uma bela cor fraternal, em que todas as outras se fundem, cor de singeleza, de harmonia e de paz» e sob ela, «salpicada pelas quinas (...) se ferem as primeiras rijas batalhas pela lusa nacionalidade (...). Depois é a mesma cor branca que, avivada de entusiasmo e de fé pela cruz vermelha de Cristo, assinala o ciclo épico das nossas descobertas marítimas».

O vermelho «nela deve figurar como uma das cores fundamentais por ser a cor combativa, quente, viril, por excelência. É a cor da conquista e do riso. Uma cor cantante, ardente, alegre (...). Lembra o sangue e incita à vitória».

Para o verde - que não tinha tradição histórica em Portugal -, foi dada como explicação que na preparação da Revolta de 31 de janeiro de 1891, o verde terá surgido no «momento decisivo em que, sob a inflamada reverberação da bandeira revolucionária, o povo português fez chispar o relâmpago redentor da alvorada».

Relativamente à esfera armilar, que já fora adoptada como emblema pessoal de D. Manuel I, estando desde então sempre presente na emblemática nacional, consagra «a epopeia marítima portuguesa (...) feito culminante, essencial da nossa vida colectiva».

Por sua vez, sobre a esfera armilar entendeu a Comissão fazer assentar o escudo branco com as quinas, consagrando «o milagre humano da positiva bravura, tenacidade, diplomacia e audácia que conseguiu atar os primeiros elos da afirmação social e política da lusa nacionalidade».

Finalmente, a Comissão entendeu «dever rodear o escudo branco das quinas por uma larga faixa carmesim, com sete castelos», considerando que estes são um dos símbolos «mais enérgicos da integridade e independência nacional».

 

Hino Nacional: A Portuguesa

Pauta do Hino Nacional

Heróis do mar, nobre povo,

Nação valente, imortal,

Levantai hoje de novo

O esplendor de Portugal!

Entre as brumas da memória,

Ó Pátria, sente-se a voz

Dos teus egrégios avós,

Que há-de guiar-te à vitória!

Às armas, às armas!

Sobre a terra, sobre o mar,

Às armas, às armas!

Pela Pátria lutar

Contra os canhões marchar, marchar!

 

Fonte: Página de internet do Governo Português